sexta-feira, 26 de agosto de 2011

NÃO VENHA MAIS AOS MEUS SHOWS, POR FAVOR!!!!

Por que? Por dizer o que penso? Há quem pense assim, mas e daí? Os políticos são os caras mais politicamente incorretos do mundo, pelo que sei, e nada acontece com eles. Quando acontece, o tempo apaga nossas mentes (generalizando, ok?).
É importante que todos saibam que E-S-T-E-E-S-P-A-Ç-O-A-Q-U-I eu criei, é meu e nele escrevo o que quiser. Você tem carta branca para, educadamente opinar, concordar ou não! Então venha opinar comigo aqui!!! Não me pare nas ruas para dizer que o que estou fazendo (dizer o que penso) não está certo. O que não está certo é continuarmos sobrevivendo da esmola que os grandes senhores do comércio noturno petropolitano querem empurrar pela nossa guela abaixo, acreditando estarem fazendo um favor em nos "deixar" tocar em suas grandes casas.
Só me faltava essa! Se você realmente acredita que a politica deles é a correta, não faça cerimônia, junte-se à eles e NÃO VENHA MAIS AOS MEUS SHOWS, POR FAVOR!!!!!!

Rockiss!!!

Eu sou uma Rockstar!!! 11:52

sábado, 20 de agosto de 2011

Antes de continuar, preste atenção!

Hey, rockers!!! Tudo ok? Espero que sim!
Well, antes de você continuar preste atenção, prá depois não sair por aí falando que a Louh Marques tá pixando "todos os músicos e donos de casas noturnas da cidade", ok? Prestou atenção? Sacou? Ótimo!!! Sendo assim, pode continuar lendo.
Algumas pessoas não sabem ainda, mas há um tempo resolví dar um tempo nesse lance de ficar correndo atrás de shows. Por que, Louh? Bom, "N" razões e vou citar poucas:

- Os proprietários das casas (ainda) se negam a pagar "o que é justo" para nós. Tem sempre aquele papinho de que o movimento tá ruím, que dia tal é valeta, blá, blá, blá!!!;

- Os mesmos querem úsica ao vivo, mas não se preocupam em adquirir o equipamento necessário para isso. Acham que o responsável por essa parte "tem que ser o músico", sem contar que se comportam como se "a casa" fosse a atração da noite e não o músico ou a banda. Hello???;

- Os músicos (não todos) há tempos deixaram para trás o auto respeito e o valor pelo que fazem. Abrem as pernas por qualquer trocadinho, só prá poderem sair por aí dizendo que estão "tocando direto", tentando passar a falsa imagem de que "meu som é bom prá caralho, todos querem me contratar", quando sabemos que não é bem assim. Hey, bonitinhos??? Se vocês ainda não sacaram, o contratante chama prá tocar no estabelecimento dele, o trabalho que cabe no bolso dele com F-O-L-G-A!!! Nem preciso dizer que esta atitude porca, culmina por apodrecer a relação contratante-contratado e vice-versa;

- Muitos músicos (disse muitos, não todos, ok?) não estão nem aí pro pobre coitado responsável pelo trabalho, que marca as funções, trabalha prá cacete o verbo, prá tentar melhorar o cachê, faz toda a divulgação, arca com os valores ($) do estúdio, sem aquele papo de "bora fazer uma vaquinha, galera!!!", etc. Os filhos das boas mães confirmam ensaio contigo e chegam SUPERHÍPERULTRAMEGA atrasados, isso quando não furam, sem a menor satisfação. Enquanto isso, a pessoa fica feito um 2 de paus, idiotamente esperando, esperando... ARGH!!!! E ainda tem pagar as horas contratadas do estúdio, afinal o tempo foi agendado prá você, se fulano ou sicrano ou beltrano perdeu o bonde e não apareceu, o problema é seu. Que raiva, cara!!!

- Cansei de tudo isso!!!

Falta de respeito e de consciência me deixam doente. Eu não preciso passar por isso. Não tenho mais saco nem idade prá suportar esse desrespeito, com a mesma cara de brisa que os "cavalheiros" fazem, quando você resolve perguntar "O que houve que você não apareceu no ensaio?" ou "Pô, amigo o ensaio estava marcado para as 13horas e, já são 15...". Well, quem sabe no futuro as coisas melhorem...

Well, como disse, nada do que falei é prá todos. Cada um que vista sua carapuça, se este for o caso.

Rockiss!!!
Eu sou uma Rockstar!!! 17:52


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Nada do que eu digo tem importância.

Essa é a sensação "desse" momento.
Sendo assim, creio que devería me fechar definitivamente. Partir. Sumir. Deixar prá trás meus amores, meu lar, meu quintal, meu emprego, meus (pouquíssimos), minhas coisas, prá fazer a felicidade de... De quem mesmo? Do mundo inteiro, menos a minha.
Não, eu não sou assim, covarde. Jamais me escondo dos meus medos, minhas inseguranças, fraquezas. Me ensinaram de outro jeito. Mesmo que eu me dê o direito de me sentir down às vezes, porque sim, é um direito, embora há quem pense ao o contrário e, para estes, "congrats, você tem opinião própria!" ou apenas faz questão de ser do contra, não sou capaz de deixar de também me dar o direito de sair do fundo do posso, cantando, ainda que puta da minha vida, e começar tudo de novo, correndo atrás do tempo que perdi enquanto estive lá.
Não é fácil ser eu, mas como já disse UM MONTÃO DE VEZES, sinto-me muito bem em minha própria pele. Ainda que nada do que digo tenha importância prá você, seja você quer quer que seja, tem importância prá mim, pois de tudo o que eu digo, nada é gratuito. "EU NÃO SOU UMA CABEÇA DUPLA". Tudo o que eu digo, sai de dentro de mim, do âmago de mim e, isto sou eu.

Rockiss!!!

Eu sou uma Rockstar!!! 12:17

domingo, 14 de agosto de 2011

Desabafo e inspiração!

Hey, rockers!!!
O que me inspirou esse post foi o desabafo de um amigo do Facebook. Lá, ele reclama do tal glamour que o público acredita existir em volta da vida do artista - creio que referia-se especificamente aos músicos dessa cidade - do descrédito das mesmas e, isso é e não é, ao mesmo tempo, contraditório, pois se a gente parar prá pensar a respeito da confusão que rasteja ao redor dos sentimentos humanos, se dá conta de que somos nós quem colocamos a contradição em nossa vida,isto é, para o público, o artista serve para o entreter, mas pisou fora do palco, o mesmo artista que o tirou da rotina infeliz em que ele está afundado, apenas serve para ser apontado e criticado, pasmem ainda hoje, por ser um completo vagabundo. E mais, esse meu amigo também desabafa sobre a falta de respeito com que somos tratados por "nossos contratantes". É,realmente eles estam equivocados acreditando que o estabelecimento é que é a atração da noite...
Well, há alguns anos acreditava-se que tudo isso existia, glamour, respeito e valor. Eu acreditava.
Quando comecei a cantar, havia uma aura quase mágica, que pairava sob o céu à noite toda, e que permanecia sobre a minha cabeça no dia seguinte. Era bom imaginar que, ao andar pelas ruas, as pessoas me olhavam e sabiam quem eu era e, que eu era quem era, por fazer o que fazia. E assim devia ser com meus companheiros, acredito eu, embora se perguntasse, não creio que confirmaríam o que estou dizendo. Mas isso é uma questão pessoal de cada um e eu respeito.
Nessa época o sol tinha mais brilho, o céu, mais estrelas, nossas mentes eram mais leves e era maneiro entrar no carro com meus amigos, acender um baseadinho e pegar a estrada prá fazer um som lá em não sei onde. E todo mundo curtia essa mesma aura, cada um à sua maneira.
Muito disso tudo, ainda é maneiro, mas de lá até aqui, também muito se perdeu por "n" razões. Eu concordo com meu amigo e faço meu, o seu desabafo, porém estamos sós nesse sonho e essa é a realidade que atravessa nossas almas, feito seta sem volta. O que fazer? Abandonar tudo? Existe uma opção: podemos deixar a vida nos levar, como se nada disso tivesse acontecido um dia. Fingir que Deus não nos abençoou com estes presentes magníficos e envelhecermos secos, consumidos pela nossa paixão e morrermos, sem algum remédio que alivie a dor de nossa frustração. É só isso, Louh?
Well,ainda há uma outra opção e, particularmente, fico com esta. Podemos reviver o passado, quantas vezes quisermos, sem nos atermos à ele, seguindo em frente, pegando pelo caminho aquilo que nos servir, que for realmente bom, deixando para trás os maus sentimentos, pensamentos, críticas destrutivas e inveja, esfregando na cara de qualquer um que tentar fazer com que a gente se sinta mal por sermos ARTISTAS, que nos respeitamos, assim como também à nossa arte acima de qualquer coisa e de qualquer um e que sim, temos força prá passar por cima disso tudo, feito tratores sobre uma estrada velha.
Pode parecer idealismo ou qualquer outra coisa que você seja capaz de nomear. Pois bem, prá mim, é filosofia de vida.Muitos preferem usar um diploma como escudo. Claro que ter um não é ruím, eu mesma tô indo em direção mais um, mas realmente penso que não se deve deixar um sonho prá trás, porque existem pessoas que não acreditam nele e que fazem a política do "mais vale um pássaro na mão". Danem-se! Somos capazes de realizar o que quisermos, independentemente da opinião alheia. Alguém no passado pintou um quadro muito feio de nós, artistas. Já chega de nos sentirmos perturbados com isso! Vamos viver nossas vidas e seguir em frente com aquilo em que acreditamos.

Eu sou uma Rockstar!

Rockiss!!!